Como tivemos uma agradável surpresa conhecendo a região de vinícolas no Vale dos Vinhedos, resolvemos quebrar mais esse preconceito sobre nossos vinhos nacionais e visitar a região de São Roque, que possui uma rota de vinhos de aproximadamente 12km, com diversas vinícolas para visitação.

 

 

Em meados do século XVII, Pedro Vaz de Barros, fundador da cidade de São Roque, ficou entusiasmado com as terras da região e, juntamente com os moradores, decidiu investir na plantação da fruta e na produção de vinhos.

 

 

O Roteiro do Vinho é uma oportunidade de vivenciar essa história e toda a tradição de perto, através das adegas, vinícolas, restaurantes  e centros de lazer e entretenimento, em meio à natureza abundante da mata atlântica preservada.

 

 

Entre os meses de janeiro e fevereiro acontece a festa da vindima na região. Aproveitamos uma promoção de milhas da TAM e partimos para conhecer mais uma região. 

 

 

Nosso voo era Rio – São Paulo. Chegando em São Paulo na manhã de um sábado, alugamos um carro na Movida, através do site da multiplus, para acumular mais milhas, e fomos em direção a São Roque. Fica à apenas 60km da cidade de São Paulo, aproximadamente 1h e 20 min de viagem.  Sem um roteiro fixo para a região, fomos direto almoçar.

 

 

 

Tínhamos algumas dicas e escolhemos o complexo Vila Don Patto para nossa primeira parada. Um complexo gastronômico localizado na estrada do vinho, que dispõe de um restaurante português, italiano, sorveteira, loja de doces, etc…

 

 

Nossa escolha foi o português. Sem arrependimentos.

 

 

 

Atendimento excelente, a comida estava muito gostosa e degustamos um bom espumante da casa e um vinho chileno delicioso.

 

 

 

Após o almoço, fomos até a sorveteria para a sobremesa. Lugar muito bacana!!! 

 

 

Seguimos para a nossa pousada. Demos preferencia para ficar hospedados na própria estrada do vinho e as opções não eram muitas. Escolhemos uma pousada ao lado da vinícola Goes, Pousada Ventos de Outono.

 

 

Localização muito boa, mas um lugar bem simples. Quarto estava bem limpinho, mas não tinha ar condicionado e o calor estava gigante. Outro ponto ruim, é que fica do lado do trilho ferroviário e você escuta o barulho do trem a noite toda.

 

 

Deixamos nossas malas e fomos atrás das vinícolas. Na região, você tem vários pontos de degustações das vinícolas. Você não conhece a estrutura das mesmas, mas tem um ponto comercial, onde pode degustar vários dos vinhos por eles produzidos. Normalmente, as degustações são gratuitas. 

 

 

 

Paramos na Vinhos Cangueira. Lugar muito agradável. Tem um jardim, com algumas mesas e um show ao vivo, que achamos bem interessante. Entramos na loja, degustamos alguns vinhos e seguimos nosso caminho.

 

 

Vinícola Casa da Árvore foi nossa segunda parada. Só fazem um vinho seco branco lá. Os outros são suaves e preferimos não degustar.

 

 

 

Tem uma pequena lanchonete, onde ficamos papeando com os funcionários

 

 

e perguntei se poderíamos conhecer a estrutura da vinícola e o funcionário, muito simpático, nos levou para um pequeno tour por essa pequena vinícola familiar.

 

 

 

A produção maior deles é de suco. Mas tem uma pequena estrutura para os vinhos. Barris de plástico que eu nunca havia conhecido antes. Interessante!

 

 

 

Estão produzindo um espumante pelo método tradicional e começando a investir na produção de vinhos finos. 

 

 

Terceira parada: Terra dos Vinhos. Degustamos espumantes e vários vinhos.

 

 

 

Mas a melhor degustação, foi a dos queijos. Cada um melhor que o outro. Funcionário muito simpático e ambiente bem agradável. 

 

 

Quarta parada foi indicação do garçom do Vila Don Patto: Vinícola Ferreira & Passero. Foi o achado da viagem.

 

 

 

 

Conseguimos ver, finalmente, parreiras pela vinícola. Um lugar especial! Um casarão com mais de 200 anos, onde reside um casal super simpático: Fernando e Sandra.

 

 

 

 

Ele produz seus próprios vinhos. Como um hobby. e Sandra recepciona como ninguém.

 

 

Chegamos e o local estava fechado, mas eles nos convidaram para entrar e conhecer alguns dos seus vinhos. Primeiro, nos levou em sua adega subterrânea (uma delas)

 

 

 

e depois sentamos na mesa de jantar e por lá ficamos horas…um longo e bom papo, com vinhos gostosos

 

 

 

e nossa noite terminou em um jantar. Fernando e Sandra nos levaram no restaurante preferido deles na região. Spazio di Garda.

 

 

Fica  dentro do hotel com o mesmo nome. Um lugar bem legal para ficar! O dono do restaurante e chef, é um português bem bronco. Comida deliciosa, ambiente agradável e o atendimento peculiar .

 

 

 

Vale muito a visita! Tivemos uma noite muito agradável. 

 

 

Acordamos e fomos para a festa da vindima na Vinícola Góes, a maior da região. Estávamos ressabiados, pois não curtimos visitas muito grandes e turísticas, mas nos surpreendeu de uma boa maneira.

 

 

O passeio começa com uma foto do grupo e um vídeo falando um pouco da história da vinícola.

 

 

Seguimos para o trem. Um “trem” puxado por um trator. Lá fomos nos. Nosso guia era o Luciano. Diretor da empresa. Extremamente simpático e brincalhão, que tornou nosso trajeto muito agradável.

 

 

 

 

Chegando no local, fomos fazer a colheita das uvas. Nos são dados uma cesta e uma tesoura para fazer a poda das uvas. Muito legal!

 

 

 

 

 

 

 

 

Em seguida, eles recolhem o que foi feito e seguimos para a área de produção.

 

 

 

O enólogo nos faz uma demostração do processo de despaletização e desengasse das uvas e extração do suco. Em seguida, fomos fazer a pisa da uva. Dois tonéis de madeira gigantes, com as uvas colhidas dentro.

 

 

 

 

 

Música tocando, funcionários super animados e lá vamos nós. Uma experiencia bem legal. E para todas as idades. Nossa filha amou…

 

 

 

 

 

Fomos almoçar. Uma estrutura montada ao lado das parreiras, com buffet liberado e vários vinhos disponíveis para serem degustados.

 

 

Provamos todos os finos e escolhemos o Philosofia para servir junto com o almoço. Um vinho 100% cabernet franc, que passa por envelhecimento de 12 meses em barricas de carvalho.

 

 

Estava bem gostoso, tanto o vinho, como o almoço. Atendimento dos garçons, 100%. Pessoal sempre muito simpático e disposto a ajudar. Gostamos muito.

 

 

 

Após o almoço, fomos para um ambiente criado dentro dos bosques, com redes e mesas para descanso e bate papo e um som ambiente relaxante. Muito agradável!

 

 

Ficamos por ali um tempo descansando e voltamos para o jardim principal, onde são distribuídas toalhas para você poder deixar na grama e curtir o ambiente, com show ao vivo, sorveteria, wine bar e muito mais.

 

 

 

Degustamos mais algumas taças de vinhos e pegamos nosso ônibus de volta a sede, que fica disponível, a cada 30 min.

 

 

 

Foi uma grata surpresa esse passeio. Não esperávamos muita coisa e foi muito interessante toda essa experiência. 

 

 

 

Antes de irmos embora para São Paulo, paramos no Ski Mountain Park. Um local de entretenimento para as crianças, com vários brinquedos e atividades. Desde pista de ski, até pula pula.

Tomamos um café, comemos um bolinho e seguimos nosso trajeto até São Paulo, onde dormiríamos para pegar o voo de volta para o Rio na manhã seguinte…

Espero que tenham gostado. Um roteiro rápido mas delicioso para os amantes do vinho.